A criação, ou recriação, de temas tradicionais, respeitando as raízes de um passado  recente, mas não esquecendo o presente, foram uma das principais características no inicio do projecto Navegante em 1993, mas composição de novas cantigas a partir das mesmas raízes são mais recentemente a particularidade maior deste projecto musical.

    O gosto pela música tradicional das varias regiões de Portugal, país pequeno, mas com uma grande  variedade musical de região para região, um dos elementos mais marcantes no trabalho do grupo, a par da inovação e criação de novos temas, assumindo influências  aqui e ali mais ou menos tradicionais.

Apesar de os elementos do grupo Navegante viverem na cidade com tudo o que os rodeia de modernidade e urbanidade, a procura da alma da música portuguesa (ou o que isso poderá, ou não, significar) é uma busca que não acaba nunca (como diria Almeida Garrett: ”Romanceiro....não   o coligimos nunca...”)e daí o seu interesse e fascínio.

Os instrumentos tradicionais portugueses são uma prioridade no trabalho deste grupo, pois as composições e arranjos são pensados na sonoridade e potencialidades  de cada um deles.

A viola braguesa, cavaquinho, bandolim, violino, acordeão ou concertina, flautas, gaitas-de-foles e percussões tradicionais portugueses têm todo o espaço na música a que se dedicam, mas sempre com a ligação a outros, como o piano ou sintetizadores, bateria, contrabaixo ou baixo eléctrico.

O canto, talvez a forma mais imediata e espontânea das artes que o povo português expressa, tem um papel fundamental neste projecto. O canto modal, que a tradição portuguesa regista, é uma das preocupações  de maior respeito pelo que de mais genuíno   a tradição popular nos transmitiu ao longo dos tempos.

A alegria, sempre tão ligada à música tradicional portuguesa, não tira espaço às composições   de carácter religioso, às cantigas de trabalho, cantigas de amor ou de escárnio e outras, numa fusão de cores e sons, que são o próprio grupo, nas gravações ou espectáculos ao vivo.

Da música deste grupo se poderá dizer que é triste ou alegre, de amor ou de escárnio, de ambiência, de tempos novos ou velhos...

É, com certeza, música portuguesa.

A música

© 2020 por José Barros

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now