José Barros       

CV Musical

Nasceu em Lisboa em 1960.

Toca viola desde muito jovem, e desde 1976 que percorre os palcos de todo o Portugal. Frequentou a Juventude Musical Portuguesa , a escola do Hot Clube e a Academia dos Amadores de Música de Lisboa onde cursou a disciplina de Canto. Em 1983 é um dos fundadores do grupo BAGO DE MILHO e grava o primeiro disco em 1986.

Em 1986 é fundador do grupo ROMANÇAS, com o qual grava: “ROMANÇAS” (1988), e “MONTE DA LUA” (1991). Com Rui Vaz (Gaiteiros de Lisboa) criou um espectáculo dedicado à viola campaniça e canto alentejano, CANTESUL, que está na origem na criação do projecto 4uatroAoSul em 2007. Colaborou com o grupo de música tradicional portuguesa “Ronda Dos Quatro Caminhos”, entre 1991 e 1994, gravou com Rão Kyao, Roberto Leal, Isabel Silvestre, entre muitos outros. É responsável e presidente da TRINADO-Assoc. Cultural; é fundador do projecto José Barros e NAVEGANTE em 1992 com o qual gravou; em 1994, NAVEGANTE; em 1997, CANTIGAS PARTINDO-SE; 1999 NÃO Há HERÓIS; 2001 RIMANCES (editado em França e resto da Europa); em Maio de  2003 o registo dos espectáculos realizados no final de 2002 no CCOCadaval, Vivos.E ao Vivo; grava em 2005/6 José Barros, Mar Eterno; no âmbito do Festival 7Sois7Luas, cria La Gialleta, em conjunto com músicos de Espanha (Ttukunak,) e Itália ( Mimmo Epifani, Giandomenico Caramia...); entre 2007 e 2008 frequenta a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova, onde conclui a pós-graduação no 1º curso de Estudos da Música Popular; ainda em 2008 edita o disco MEU BEM MEU MAL; desde 2009 que é um dos mentores do projecto Violas de Arame, projecto com o qual se tem apresentado todos os anos em Portugal Continental, Açores, Brasil, Madeira, etc.; de novo dir. musical da 7SoisMedKriolOrkestra em 2011,  F7Sois7Luas, e ano seguinte a edição do CD AO VIVO EM CASTRO VERDE; a convite de Fausto Bordalo Dias, participa como músico e cantor no disco Por Altas Montanhas Azuis, disco que encerra a trilogia trágico-marítima na sua obra vasta e fundamental da música portuguesa; participa no FEMUCIC em Maringá, Brasil, em parceria com o músico brasileiro Fernando Deghi, e vê editado um tema seu, MAR PORTUGUÊS, no DVD editado no âmbito do evento em 2012; em 2012 produz e edita o DVD JOSÉ BARROS E NAVEGANTE, CANTARES DO POVO PORTUGUÊS, registo dos 2 grandes espectáculos realizados no palco do Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra entre 25 e 26 de Novembro de 2011, para o Congresso das Cidades Património Mundial, no âmbito da Unesco, que se realizou nesse ano em Sintra/Portugal. Em 2014 é de novo convidado para director musical da Orkestra Mazagão7Luas criada em 2014, ainda no âmbito do F7Sois7Luas, com o qual realiza concertos por toda a Europa em 2014 e 2015,ano da edição do CD Mazagão7Luas Ao Vivo em Oeiras. Em 2015 gravou e editou (em 2016) o novo disco de Isabel Silvestre, Cânticos da Terra e da Vida. Em 2016 gravou e editou um disco com o grande bandolinista italiano Mimmo Epifani, com o nome José Barros & Mimmo Epifani, Mar Da Lua, editado em Portugal e em Itália. Em 2016 de novo um projecto 7S7L com o nome de Jeunesse7S7L Set./2016 e ainda outro Cunfrontos7S7L, com residência artística na ilha da Sardenha em Itália/2017. Em Jan. 2018 novo disco JBN, À’Baladiça e em Out., em conjunto com 9 músicos e cantores ligados à música tradicional e popular portuguesa, criaram o projecto Companhia Do Canto Popular, como disco Rebento, editado em Nov.2019..

  José Barros 

Outros projectos

QuatroAoSul

Demudado em Tudo

José Barros & Mimmo Epifani

Atarantado

trinado - Associação Cultural

Companhia do Canto Popular

Rebento

 

© 2020 por José Barros

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now